Tradutor




O toque de campainha é costume cristão ortodoxo especial. O filme foi gravado em 8 de abril de 2010 no campanário do mosteiro cristão ortodoxo em Supraśl. Cameraman: Roman Wasiluk. Bell-campainha: Jan Makal, no sino o mais grande - Paweł Szymczuk


Culto ortodoxo é caracterizado por uma utilização completa dos sentidos visão, olfato, audição, fala, paladar e o toque. Vemos as velas, ícones, afrescos, etc, ouvimos os sons de canto e a leitura, às vezes levantando nossas próprias vozes, sentimos o cheiro característico do incenso, degustamos o Puríssimo Corpo e o Sangue Venerável e Precioso de Nosso Senhor Jesus Cristo. O todo da pessoa humana está envolvido na adoração, importante entre os sentidos é o comportamento real do corpo humano. A atitude do crente ortodoxo para adoração é reverente, e certos tipos de movimentos corporais são utilizados para reforçar este sentimento de piedade reverencial que defendemos durante os serviços, fazer arcos e prostrações, e com grande freqüência fazemos o sinal da Cruz . Assim, existem vários tipos de prostrações, dependendo da solenidade do momento.
Grande Metanoia.
Aqui o adorador prostra todo o corpo, jogando o peso para a frente para as mãos e tocar o chão com a testa.

Pequena Metanoia.
O adorador curva da cintura, tocando o chão com os dedos da mão direita.  
Ambas as prostrações são precedidas pelo sinal da cruz.

Reverência.
Em certos momentos, o adorador apenas curva a cabeça; Às vezes isso é acompanhado pelo sinal da cruz.

Sinal da Cruz.
 
O Sinal da Cruz é feito com o polegar e os dois primeiros dedos da mão direita unidos nas pontas (o terceiro e o quarto dedos sendo fechados na palma da mão). Juntando-se o polegar e os dois primeiros dedos, expressamos nossa crença na Santíssima Trindade. Os dois dedos fechados na palma da mão representam as duas naturezas de Cristo Divino e Humana. Com o polegar e os dois primeiros dedos juntos, tocamos primeiro a testa, em seguida, o peito, o ombro direito e depois o esquerdo, fazendo a nós mesmos o sinal da cruz e significando com os quatro pontos que a Santíssima Trindade santificou os nossos pensamentos (mente), sentimentos (coração), desejos (alma) e atos (força) para o serviço de Deus. Ao fazer o sinal da cruz sobre nós mesmos, também significa que Cristo nos salvou por Seus sofrimentos na Cruz.


Benção. 
Bispos e Sacerdotes, ao conceder uma benção, fazem o sinal da cruz da esquerda para a direita (que aparece para nós da direita para a esquerda), mantendo os dedos de forma a representar as letras gregas e IC XC iniciais do nome de Jesus Cristo.
 

 Falece, aos 88 anos, Arcebispo Emérito da Paraíba Dom Marcelo Carvalheira

Faleceu na noite deste sábado (25/03) em Recife, aos 88 anos,  o Arcebispo Emérito da Paraíba, Dom Marcelo Pinto Carvalheira.
Dom Marcelo estava com a saúde agravada devido a uma longa convalescência. Em 2016 havia sido internato devido a uma pneumonia, mas também lutava contra o Parkinson e Alzheimer. Ele morreu a caminho do hospital.
“Agora, no dia da Anunciação, do Martírio de Dom Oscar Romero, Dom Marcelo faz sua Páscoa e no céu vai encontrar Dom Helder, Pe. Ibiapina e muita gente do Povo de Deus!”, afirmou o Vigário Geral da Arquidiocese da Paraíba, Mons. Virgílio Bezerra de Almeida, expressando o sentimento de todos que fazem a Arquidiocese da Paraíba.
O corpo de Dom Marcelo Pinto Carvalheira será velado neste domingo, dia 26, a partir das 10h, na Catedral da Sé em Olinda (PE). A Missa de Corpo Presente será às 16h. Depois, o corpo será levado para a Catedral da Luz, em Guarabira (PB), onde será velado durante a noite.
Na segunda-feira, dia 27, pela manhã, haverá uma Missa em Guarabira, e logo após o corpo será levado para João Pessoa, com chegada prevista para às 9h30. O velório será na Catedral Basílica de Nossa Senhora das Neves. A Missa de Exéquias, seguida do sepultamento, está marcada para às 16h.
Dom Marcelo Pinto Carvalheira foi o primeiro bispo da Diocese de Guarabira (PB). Tendo sido ordenado sacerdote em Roma, em 1953, foi nomeado bispo auxiliar da Paraíba em outubro de 1975, e ordenado bispo aos 47 anos em dezembro de 1975 pelas mãos de Dom Helder Câmara, Dom Aloísio Lorscheider e Dom José Maria Pires.
Em novembro de 1981, aos 53 anos, foi designado bispo da recém criada Diocese de Guarabira. Em 29 de novembro de 1995 foi designado para ser Arcebispo da Arquidiocese da Paraíba.
Como bispo e arcebispo, foi membro da Comissão Episcopal de Pastoral da CNBB Nacional (1987-1991 e 1995-1998), responsável pelo setor Leigos e CEBs; Vice-Presidente da CNBB Nacional (1998 a 2004). Participou do Sínodo dos Bispos sobre os Leigos e da Quarta Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano, em Santo Domingo. Foi delegado à Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a América por eleição da Assembleia da CNBB e confirmado pelo Papa João Paulo II (1997).
(Com informações da Arquidiocese da Paraíba)



 


Pope in Milan - Meeting with recently confirmed young people 

 
 
1. O mar calmo, radiante e brilhante com uma espumante luz, refletindo a madrugada em sua superfície lisa, é uma visão agradável aos olhos. Mas é muito mais agradável não apenas para admirar, mas para mostrar a Igreja reunida de acordo com a vontade de Deus, livre de perturbações, iluminada misteriosamente pela Luz Divina, agitando-se na luz do amanhecer, com as mãos e os olhos, todos os sentidos e a mente elevada. A Graça do Espírito hoje me concedeu esta visão agradável. Vocês todos estão gastando suas noites e dias juntos aqui no templo de Deus, e por sua presença incessante diante dEle vocês podem ser considerados como árvores celestiais plantadas junto às correntes de água do Espírito. Então ajudarei esses fluxos, tanto quanto eu sou capaz. Como vocês têm oferecido seu dia de orações, além de suas orações matinais, que possamos, na medida em que o tempo permitir, oferecer um sermão vespertino, além desta manhã, para que possamos mostrar-lhe abertamente todos os diferentes tipos de truques que o inimigo da nossa salvação torna não só o nosso jejum, mas também a nossa oração inútil.
2. Irmãos, há outro tipo de má saciedade e embriaguez que não provêm da comida e da bebida, mas da raiva e do ódio para com o próximo, lembrança de erros, e os males que surgem a partir destes. Sobre este assunto Moisés diz em sua canção, " seu vinho é um veneno de serpente, ima violenta peçonha de cobras." (Deut. 32:33). Então o profeta Isaías diz: "embriagai-vos, mas, não com vinho" (Is. 29: 9), e novamente comanda ele, "correis atrás dos vossos negócios" (Isaías 58: 3.). Para aqueles que jejuaram, desta forma, diz ele, falando em nome do Senhor: "Por acaso a esse inclinar de cabeça como um junco, a esse fazer a cama sobre o pano de cinza, acaso é a isso que chamas jejum e dia agradável ao Senhor?" (Isaías 58:5), e," Quando estendeis as vossas mãos para mim, desvio de vós os meus olhos. "(Is. 01:15).
3. Esta é a embriaguez do ódio que mais do que qualquer outra coisa faz com que Deus afaste-Se, e o diabo traga a tentação sobre quem ora e jejua. Ele pede-lhes para lembrar erros, direciona seus pensamentos para abrigar a malícia, e aguça as suas línguas de calúnia. Ele prepara-os para ser como aquele homem que quer o mal a quem David descreve com as palavras, “Tua língua como navalha afiada, rumina o crime, artesão de impostura” (Sl. 51:4), e por quem ele reza a Deus para livra-lo, dizendo: " Senhor, salva-me do homem perverso, defende-me do homem violento; eles planejam o mal em seu coração e a cada dia provocam contendas; afiam a língua como serpentes, sob seus lábios há veneno de víbora"(Sl. 140: 1, 3).
4. Neste tempo de jejum e oração, irmãos, deixemo-nos com todos os nossos corações perdoar qualquer coisa real ou imaginária que temos contra alguém. Que todos nós possamos nos dedicar ao amor, e vamos considerar o outro como um incentivo ao amor e às boas obras, falando em defesa do próximo, tendo bons pensamentos e boa disposição dentro de nós diante de Deus e dos homens. Desta forma o nosso jejum será louvável e irrepreensível, e os nossos pedidos a Deus serão ágil e prontamente recebidos. Clamaremos justamente a Ele como nosso Pai pela graça e podemos corajosamente dizer-lhe: "Pai, perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores "(Mat. 6:12).
5. Novamente, aquele que esquema contra as nossas almas usa outros meios para tornar a nossa oração e jejum inúteis: a presunção. Porque aquele fariseu foi vaidoso quando ele jejuou e orou, ele foi mandado embora de mãos vazias (Lucas 18: 10-14). Sabemos, no entanto, que as pessoas com corações orgulhosos são impuras e inaceitáveis a Deus, e nós somos bem conscientes de que nós devemos a Deus muitas grandes dívidas e pagamos muito pouco. Por isso, vamos esquecer aquelas coisas que estão para trás como sem valor, e propagar as coisas que para frente (cf. Fil. 3:13). Vamos jejuar e orar com o coração contrito, auto-censura e humildade, para que o nosso jejum, nossa oração regular e nossa presença na Igreja de Deus possam ser puros e agradáveis a Ele.
6. Outro dos métodos do maligno de fazer nosso trabalho em jejum e nossa oração infrutífera é persuadir-nos a realizá-los hipocritamente por uma questão de vaidade e é por isso que o Senhor nos manda no Evangelho, dizendo: "Tu, porém, quando orares, entra no teu quarto e, fechando tua porta, ora a teu Pai que está lá, no segredo; e teu Pai, que vê no segredo, te recompensará" (Mateus 6: 6.).
7. Ele não disse para nos encorajar a nos desculpar de encontros e orações na igreja, porque, nesse caso, o profeta e salmista não teria dito a Ele: "louvar-te-ei no meio da assembleia"(Sl. 22:23), ou," Quero louvar-te entre os povos, Senhor, tocar para ti em meio as nações" (Sl. 57: 10), ou,"Cumprirei meus votos frente àqueles que o temem"(Sl. 22:25). Nem que ele teria dito a nós, "Em coros bendiziam a Deus" (Sl. 68:26), ou, "Entrai, prostrai-vos e inclinai-vos, de joelhos, frente ao Senhor que nos fez "(Sl 95: 6). O Senhor ensina, além de outras, questões maiores, dos quais não há tempo para falar agora, que, se estamos inclinados para orar sozinhos em nossas casas e quartos isso também incentiva a oração a Deus na Igreja, e a oração interior da mente incentiva a oração falada. Se alguém só quer a rezar quando está na Igreja de Deus, e não tem nenhuma preocupação alguma para a oração em casa, na rua ou nos campos, então, mesmo quando ele está presente na Igreja ele não está realmente orando.
8. O salmista demonstra isto porque depois de dizer: "Meu coração está firme, Ó Senhor", acrescenta," quero cantar e louvar, vamos glória minha "(Sl 108: 1). Em outro lugar ele diz: "Quando eu  te recordo no meu leito, passo vigílias meditando em ti" (Sl 63: 6). A Escritura diz: "E, quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram os seus rostos, para que aos homens pareça que jejuam. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão.
Tu, porém, quando jejuares, unge a tua cabeça, e lava o teu rosto, Para não pareceres aos homens que jejuas, mas a teu Pai, que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente. "(Mt 6: 16-18.).
9. Quão incomparável é o seu amor para com a humanidade! Com estas palavras o Senhor deixa claro para nós a distinção e a decisão que ele vai fazer no futuro julgamento, de modo que a partir de agora podemos lançar mão da melhor escolha e porção. Para aqueles que vivem para vanglória e não para Ele, Ele vai dizer definitivamente, de acordo com Suas palavras do Evangelho: "Você recebeu sua recompensa durante a sua vida", como disse Abraão ao o homem rico no Hades, "Na tua vida recebeste os teus bens" (Lucas 16:25). Aqueles que olham em direção a Ele, pois Ele deverá praticar a virtude, diz, recompensar abertamente, o que significa que aos olhos do mundo inteiro Ele lhes dará em troca a Sua bênção, uma herança, prazer e pura alegria para todo o sempre. Ele quer que ninguém perca isso, e todas as pessoas sejam salvas e cheguem ao pleno conhecimento da verdade (1 Tim. 2: 4), por isso Ele deixa claro Agora, como eu disse antes, a Sua escolha imparcial e inalterável, mostrando que somente aqueles que desprezam a glória que vem dos homens são filhos de Deus.
10. Ele aborda com as mesmas palavras ambas as categorias de pessoas, dizendo: "Teu Pai, que vê em secreto, te recompensará "(Mat. 6:18). Aqueles que são desdenhosos da glória vazia que vem dos homens, Ele os proclamará seus próprios filhos e herdeiros adotados. Os outros Ele vai excluir da adoção de filhos, a não ser que se arrependam. O Senhor diz isso para que pela forma como olhamos para outras pessoas quando nós oramos e jejuamos, o que é de absolutamente nenhum benefício para nós, suportamos o trabalho do jejum e da oração, mas somos privados da recompensa. Ele nos diz para ungir nossas cabeças e lavar nossos rostos, ou seja, não devemos fazer um olhar pálido, nem devemos ter nossas cabeças sujas e secas para que pareçam que estamos sofrendo por muito tempo prolongado jejum e o desprezo por nossos corpos, e estar à procura de elogios de outras pessoas. Os Fariseus agiam assim para manter as aparências, é por isso que eles estavam separados da Igreja de Cristo, e que o Senhor nos proíbe categoricamente para copiá-los.
11. Podemos nos referir à mente metaforicamente como o chefe da alma, já que é a força orientadora da alma, e para o aspecto imaginativo como o seu rosto, pois esta contém o permanente centro de atividade dos sentidos. Por isso é tão bom ungir a cabeça com óleo, quando jejuamos, ou seja, tornar nossas mentes misericordiosas, e lavar os nossos rostos, nossas imaginações, limpando os pensamentos impuros vergonhosos, raiva e todo mal. Tal jejum realizado desta forma expulsa e envergonha todas as más paixões, juntamente com os demônios que são seus fabricantes e guardiões. Ele também inclui aqueles jejuam entre anjos bons, envolvendo esses anjos em torno deles, acostumando-os a ser os seus guardiões e movendo-os para ajuda-los e assisti-los.
12. Na Babilônia uma quarta pessoa foi vista no meio das chamas ao lado desses três jovens, que foram enfeitadas com auto-controle e jejum, mantendo-se ilesos e misteriosamente renovando-lhes (Dan. 3:25). Quando Daniel manteve um longo jejum um anjo veio a ele para instruí-lo a prever o futuro (Dan. 10: 1-21). Em outro momento em que Daniel tinha fechado a boca dos leões por sua oração e jejum (Dan. 6: 16-27), um anjo carregava um profeta através do ar de longe para trazê-lo de alimentos (Bel & Dr. 33-39 LXX). Quando praticamos jejum espiritual e corporal e oramos, nós também teremos o fogo do desejo carnal extinto com a ajuda dos anjos bons, e a raiva será domesticada como um leão. Nós nos tornaremos participantes da comida profética com esperança, fé e visão interior das coisas boas por vir, e vamos ser capazes de pisar serpentes e escorpiões e sobre todo o poder do inimigo.
13. O jejum que não é assim nem realizado desta forma é mais parecido com o anjos maus, sua própria abstenção de comida é acompanhada por raiva, ódio, orgulho e oposição a Deus. Como servos e ajudantes do bem nós somos os seus adversários. "Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue", diz o Apóstolo, "mas contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra os espíritos do mal"(Ef. 6:12). Nós não resistimos a eles apenas pelo jejum, mas usamos o peitoral da justiça para nos proteger o capacete da salvação, obras de misericórdia e o escudo da fé (cf. 1 Ts 5:.. 8, Ef 6: T6). Além disso, a espada do Espírito, que é mais do que suficiente para a defesa, que é, a palavra salvadora de Deus para nós (Ef. 6: 14-17). Por isso, vamos lutar o bom combate (1 Tm. 6:12), manter a  fé, apagar todos os dardos inflamados do maligno (cf Ef. 6:16), e, quando formos proclamados vencedores em tudo, vamos alcançar puros a coroas celestiais e se alegrar eternamente juntamente com os anjos no próprio Cristo, nosso Senhor.
14. A quem pertence toda a glória, poder, honra e adoração, juntamente com Seu Pai sem início e no Espírito Santo, bom e vivificante, agora e sempre e pelos séculos dos séculos. Amém. 

FONTE: Leitoradoortodoxo.blogspot.com.br


IGMR ( Sinopse ) 1 Secretariado Nacional de Liturgia 
INSTRUÇÃO GERAL DO MISSAL ROMANO